emissão em direto

próximo programa

Ver programação completa

Agrupamento de Escolas Josefa de Óbidos aposta “num novo projeto educativo”

O Agrupamento de Escolas Josefa de Óbidos tem vindo a “construir um novo projeto educativo” para os seus 1344 alunos, apostando assim “fortemente” na implementação de plataformas digitais e na transição para a sustentabilidade.

Esta mudança, segundo o diretor do agrupamento, José Santos, também se “deveu à pandemia de Covid-19, que nos obrigou a repensar o nosso sistema de ensino, impondo assim uma alteração rápida no sistema de ensino e nos processos de aprendizagem”. O novo processo de aprendizagem coloca assim o aluno no centro, sendo “eles próprios a construir esse processo, em que o professor é apenas um tutor para guiar esse desenvolvimento”, explicou José Santos, que há cerca de três anos, juntamente com a equipa da direção, tem vindo a mudar a visão em relação à escola, implementando assim novas dinâmicas, certificações de qualidade, uma autoavaliação efetiva e práticas de avaliação baseada na formação.

Além dessa “alteração forçada da aprendizagem”, o ensino à distância também promoveu a transição para o digital. “O ideal é que tenhamos uma escola com recursos para que se consiga essa transição digital, que permita ao aluno trabalhar e construir o seu próprio conhecimento”, destacou José Santos, adiantando que também estão a promover a “transição para o verde”.

Para o diretor do agrupamento, “a nossa escola vai utilizar mais recursos, mas vai ter que saber o que vai fazer com esses recursos, e por isso, o nosso projeto educativo vai estar fortemente centrado nestas duas vertentes, o digital e a sustentabilidade”.

No que diz respeito à “área verde”, o agrupamento tem vindo a implementar vários projetos como o “Eco escolas”, a biblioteca verde, onde se estimula o uso das plantas para criar espaços de aprendizagem e estar, a reutilização de recursos através de parcerias, as ciências experimentais, de modo a sensibilizar os alunos para o respeito pelo ambiente e diversidade, e ainda está a concorrer para obter o Selo Escola Saudável. No futuro irá receber fontes de financiamento inerentes ao digital para aproveitar a energia eólica e solar.

Relativamente ao digital, a escola tem encontra-se a modernizar todo o parque tecnológico do agrupamento, a melhorar a rede interna de internet das escolas, a criar as salas de aula do futuro, sendo laboratórios de aprendizagem, e ainda a “apostar fortemente nas bibliotecas tornando-as em centros de recursos”.

Igualmente apostou numa nova oferta formativa para o próximo ano letivo, em que os cursos profissionais disponíveis estão relacionados com a gestão de equipamentos informáticos, técnico de multimédia, e ainda cozinha e pastelaria, restauração e bar, para uma melhor adequação ao mercado de trabalho.

Últimas Notícias

Equipa do Acrotramp vence Scalabis Cup

Decorreu nos dias 8, 9 e 10 de julho, a Scalabis Cup, competição Internacional de ginástica, no Pavilhão Desportivo Municipal de Santarém, reunindo cerca de 500 ginastas em representação de vários países. O Acrotramp Clube de Caldas esteve representado nesta competição com seis ginastas seniores de 1ª divisão e elite (três em duplo minitrampolim e três em tumbling).

Caldas da Rainha esteve em alerta mas DGS corrigiu números

A Direção-Geral da Saúde procedeu na passada segunda-feira a uma correção da incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes nas Caldas da Rainha, para o período de 24 de junho a 7 de julho, o que retirou o concelho do estado de alerta em que havia sido colocado indevidamente por resolução do Conselho de Ministros na quinta-feira anterior.