emissão em direto

próximo programa

Ver programação completa

Bombeira que morreu em Oeiras estudou nas Caldas

A bombeira que morreu na A5, em Oeiras, na noite de sábado, quando pretendia auxiliar vítimas de um despiste, tem uma ligação às Caldas da Rainha, onde estudou na Escola Superior de Artes e Design, no curso de design e ambientes.

Catarina Pedro, de 31 anos, era bombeira em Carnaxide. Quando regressava a casa, em Lisboa, depois de ter ido ao hospital com os filhos de onze meses e quatro anos, a cerca de 200 metros da saída para Linda-a-Velha, deparou-se com um carro que se despistou. Parou a viatura, ligou os quatro piscas e saiu para colocar o triângulo de sinalização. Na altura em que se aproximou do carro acidentado, um outro veículo atingiu-a mortalmente, depois de ter embatido no seu carro.

As crianças sofreram ferimentos ligeiros, tal como aconteceu com os dois ocupantes do primeiro carro acidentado e com o condutor do terceiro veículo.

O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, lamentou a morte da bombeira e também o Presidente da República emitiu uma nota de pesar, considerando-a “um exemplo nacional de generosidade e altruísmo”. Marcelo Rebelo de Sousa salientou que “mesmo fora de serviço, a bombeira não hesitou em ajudar o seu próximo”.

Últimas Notícias

Equipa do Acrotramp vence Scalabis Cup

Decorreu nos dias 8, 9 e 10 de julho, a Scalabis Cup, competição Internacional de ginástica, no Pavilhão Desportivo Municipal de Santarém, reunindo cerca de 500 ginastas em representação de vários países. O Acrotramp Clube de Caldas esteve representado nesta competição com seis ginastas seniores de 1ª divisão e elite (três em duplo minitrampolim e três em tumbling).

Caldas da Rainha esteve em alerta mas DGS corrigiu números

A Direção-Geral da Saúde procedeu na passada segunda-feira a uma correção da incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes nas Caldas da Rainha, para o período de 24 de junho a 7 de julho, o que retirou o concelho do estado de alerta em que havia sido colocado indevidamente por resolução do Conselho de Ministros na quinta-feira anterior.