emissão em direto

Câmara de Peniche ajuda comércio local com animação de natal

Na época natalícia há tradições que se repetem, como o presépio, a árvore enfeitada, o pai natal, a troca de prendas à meia-noite, o bacalhau na ceia. Mas há também tradições típicas de vários concelhos. Em Peniche, o presidente da Câmara, Henrique Bertino, destacou ao JORNAL DAS CALDAS os presépios à janela.   JORNAL DAS […]

Na época natalícia há tradições que se repetem, como o presépio, a árvore enfeitada, o pai natal, a troca de prendas à meia-noite, o bacalhau na ceia. Mas há também tradições típicas de vários concelhos. Em Peniche, o presidente da Câmara, Henrique Bertino, destacou ao JORNAL DAS CALDAS os presépios à janela.  

JORNAL DAS CALDAS: Qual a tradição típica de Peniche no natal?

Henrique Bertino – A tradição é juntar a família à volta da mesa na noite de natal e o cantar das janeiras porta a porta aos vizinhos. Hoje já não acontece tanto, mas ainda temos quem mantenha essa tradição. Outro costume é a de colocar o presépio nas janelas.

J.C.: Quais são os pratos e doces tradicionais no natal em Peniche?

H.B. – Existem vários pratos e doces. Desde as tradições comuns ao resto do país, como o bacalhau ou o borrego, a tradicionais mais específicas como comer o peixe cozido. Os peixes mais caros normalmente comiam-se na noite de natal. Quanto a doces temos as filhós, coscorões, também tradicionais de várias zonas do país, os pastéis de Peniche e os “Esses”, estes doces tradicionais do concelho e que também são comidos nesta época. Os pastéis de Peniche, pela semelhança com as azevias, são também uma tradição natalícia. Antigamente faziam-se biscoitos como bolo seco, que é menos perecível e depois podia ser levado para a faina. Antigamente havia, ainda, a tradição de fazer e comer o pão de ló de Peniche, sendo que hoje já poucas pessoas o fazem.

J.C.: A Câmara Municipal de Peniche proporciona às famílias todos os anos um programa diversificado para celebrar esta quadra. O que destaca deste natal?

H.B. – Destaca-se o envolvimento e a promoção dos nossos artistas locais, o investimento na iluminação de natal e na criação de dinâmicas associadas ao comércio local. Inicialmente tínhamos apostado, também, na dinamização de várias atividades dedicadas à infância e suas famílias, contudo, a atual situação pandémica obrigou-nos ao seu cancelamento e exige-nos uma constante reorganização e adaptação ao que nos vai sendo permitido dinamizar.

J,C.: Este ano continuamos com a pandemia a assombrar o Natal, qual a mensagem de esperança do Município à população? 

H.B. – Uma mensagem de esperança, com a entreajuda de todos, que nestes momentos de natal está sempre mais patente, vai ser possível ultrapassarmos este tempo de incerteza sobre o futuro para retomarmos as nossas vidas. Uma palavra de solidariedade também às famílias que já foram atingidas pela pandemia e que perderam algum ente querido. Temos de manter a confiança e esperança. Juntos vamos ultrapassar este combate das nossas vidas.

J.C.: O que está a ser feito para ajudar o comércio local neste natal?

H.B. – Estamos a trabalhar em estreita articulação com o movimento de comerciantes locais, desde logo na auscultação das suas necessidades e no investimento municipal possível para a concretização das mesmas. Não obstante a dificuldade ao nível dos recursos técnicos e financeiros destas entidades temos vindo a potenciar as sinergias existentes em torno da promoção do comércio, da animação de ruas, da iluminação de natal, da criação de dinâmicas em espaço público, entre outras.

J.C.: Natal também é sinónimo de várias ações de solidariedade social. O que é que o Município de Peniche está a fazer neste natal em prol das famílias e pessoas mais carenciadas?

H.B. – Os apoios surgiram no início da pandemia e fomos aumentando os programas para ajudar as famílias mais carenciadas e as instituições particulares de solidariedade social, que também têm essa função. Foi um trabalho em rede, para permitir chegar a todos de forma mais célere. Distribuir alimentos e bens de primeira necessidade a quem precisou foi uma das várias medidas. Criámos também um serviço de distribuição dos bens a quem estava impedido de sair à rua. O Programa Lado a Lado foi criado para ajudar as pessoas e simultaneamente o tecido empresarial. Apoiamos também as associações locais que se viram condicionadas nos seus rendimentos por via dos diversos confinamentos.

Últimas Notícias

Suspeito de esfaqueamento detido pela Judiciária

Um homem de 24 anos que tentou matar outro com uma faca, no ano passado em Rio Maior, foi detido no dia 24 de maio pelo Departamento de Investigação Criminal de Leiria da Polícia Judiciária em Ferrel, no concelho de Peniche.

João Almeida com Covid-19 desiste do Giro d’Italia

A 18ª etapa do Giro d’Italia, nesta quinta-feira, fica marcada pela ausência do ciclista caldense João Almeida, que acusou positivo à Covid-19, sendo assim forçado a abandonar a prova, quando ocupava o quarto lugar, a 1 minuto e 54 segundos do líder e a 49 segundos do pódio.