emissão em direto

próximo programa

Ver programação completa

Exposição sobre vários olhares da Praça da República

O Agrupamento de Escolas Raul Proença inaugurou no passado dia 19, no Céu de Vidro, nas Caldas da Rainha, a exposição “Da Rodilha à Praça”, que reflete vários olhares da Praça da República (Praça da Fruta).

No ano letivo 2019/2020 o Agrupamento de Escolas Raul Proença aderiu ao Plano Nacional das Artes (PNA) mas devido à pandemia só foi possível neste ano letivo implementar o seu Projeto Cultural de Escola. O tema trabalhado foi a Praça da República (Praça da Fruta) e envolveu mais de 600 alunos do 1º ciclo ao 12º ano de escolaridade e foi feito em parceria com entidades locais, estruturas artísticas, culturais e patrimoniais, como a Câmara Municipal, ESAD.CR, Museu José Malhoa e Associação Património Histórico.

A exposição, que estará patente até ao dia 27 de junho é composta pelos vários trabalhos de desenho, pintura, aguarela, 3D, maquetes, pintura em pano cru, pintura em azulejo, máscaras, entre outros, que os estudantes fizeram à volta do tema da Praça da Fruta desde o início ao ano letivo.

Uma das atividades partiu da pintura a óleo do Museu José Malhoa “A Vendedeira de Laranjas”, de Maria de Lourdes de Mello e Castro, onde debaixo do chapéu de sol azul em frente de um cesto com laranjas e limões, uma vendedora idosa, sorridente, de frente para o observador, exibe uma laranja na mão direita.

“A partir do quadro os alunos tentaram saltar para 1929, data da obra, e criaram uma história e fizeram um autorretrato de como seriam se estivessem naquela data a vender laranjas na Praça da Fruta”, explicou a professora de desenho, Dulce Nunes, coordenadora do Projeto Cultural de Escola no âmbito do PNA.

Outra das atividades contemplou a interpretação da calçada portuguesa com estruturas em 3D em cartolina com os desenhos originais da calçada da Praça da República.

Também foi trabalhada a alimentação saudável, onde os alunos visitaram a Praça da Fruta e recolheram imagens dos produtos vendidos e ambiente envolvente desta praça que é única no país. Criaram máscaras de proteção individual com o tema da alimentação saudável.

Os estudantes do sétimo ano fizeram uma recolha do som da “desmontagem das bancas da Praça da Fruta e os alunos de dança trabalharam esses sons”, adiantou a coordenadora.

Da mostra faz parte também uma maquete à escala da Praça da República. Está exposta ainda uma maquete de uma instalação a partir dos elementos originais das estruturas da Praça da Fruta inspirada no trabalho diário da sua desmontagem.

Para o próximo ano letivo o Projeto Cultural de Escola será focado no Hospital Termal, em parceria com o Museu do Hospital e das Caldas e ESAD.CR.

Segundo Cândida Calado, presidente do Conselho Geral do Agrupamento de Escolas Raul Proença, este projeto pretende coadunar o processo de ensino e aprendizagem com as práticas artísticas integrando-as no contexto educativo, permitindo assim um maior acesso à cultura a todos os alunos do agrupamento. “Pretende reforçar o contributo da formação artística pela consciência da cidadania e respeito pela herança cultural”, referiu a responsável, destacando o facto de as artes “permitirem a realização de projetos transversais”. “Aproxima a arte e o património aos estudantes”, realçou.

A vice-presidente da autarquia caldense, Maria João Domingos, que esteve presente na inauguração da exposição, destacou a “capacidade de liderança do Agrupamento de Escolas Raul Proença na implementação do seu projeto cultural que criou sinergias e demonstrou capacidade, descoberta e processo criativo”.

Últimas Notícias

Equipa do Acrotramp vence Scalabis Cup

Decorreu nos dias 8, 9 e 10 de julho, a Scalabis Cup, competição Internacional de ginástica, no Pavilhão Desportivo Municipal de Santarém, reunindo cerca de 500 ginastas em representação de vários países. O Acrotramp Clube de Caldas esteve representado nesta competição com seis ginastas seniores de 1ª divisão e elite (três em duplo minitrampolim e três em tumbling).

Caldas da Rainha esteve em alerta mas DGS corrigiu números

A Direção-Geral da Saúde procedeu na passada segunda-feira a uma correção da incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes nas Caldas da Rainha, para o período de 24 de junho a 7 de julho, o que retirou o concelho do estado de alerta em que havia sido colocado indevidamente por resolução do Conselho de Ministros na quinta-feira anterior.