emissão em direto

Guerra agrava subida do preço dos materiais de construção

Dando provas de resiliência ao longo da pandemia, o setor da construção vive com um agravamento nos custos de construção, derivado da escassez e aumento de matérias-primas. O JORNAL DAS CALDAS falou com a Agostinho Pereira Construções (AP Construções), que opera no concelho das Caldas da Rainha e no Oeste.

Dando provas de resiliência ao longo da pandemia, o setor da construção vive com um agravamento nos custos de construção, derivado da escassez e aumento de matérias-primas. O JORNAL DAS CALDAS falou com a Agostinho Pereira Construções (AP Construções), que opera no concelho das Caldas da Rainha e no Oeste.

Em declarações ao JORNAL DAS CALDAS, Raquel Vidigal Pereira, formada em design de equipamento e interiores e responsável pelo projeto de acabamentos interiores na fase final de obra e acompanhamento na fase de venda dos imóveis da empresa Agostinho Pereira, disse que a guerra afeta o “setor da construção no aumento do custo dos combustíveis, que se reflete no custo final das matérias-primas”. “A falta de materiais dá origem a atrasos nas entregas e aumento de preços, uma vez que quando há falta de matéria-prima os preços aumentam”, contou.

raquel foto 1
Raquel Vidigal Pereira

O agravamento do custo de matérias-primas vai, segundo Raquel Pereira, “inevitavelmente refletir-se no valor final da casa”, uma vez que querem “manter a qualidade”.

“Sem margem de manobra, se não queremos baixar a qualidade, o agravamento dos custos vai refletir-se no custo final da casa”, relatou.

Segundo a responsável pelo design, o preço de um apartamento varia de acordo com a “tipologia, localização, áreas, materiais aplicados, entre outras caraterísticas”.

A responsável confirma o aumento dos custos, que tem sido significativo e é “transversal a todas as matérias primas”. De forma a minimizar os aumentos têm adotado algumas estratégias como “compras programadas e um planeamento para evitar desperdício”. “É preciso uma boa gestão”, afirmou, acrescentando que não têm sido afetados pela escassez de mão de obra porque “trabalhamos com uma equipa coesa e temos bons colaboradores”.

Quanto aos projetos em curso, a empresa de construção está a construir um “edifício de habitação e comércio no centro da cidade, composto por 33 apartamentos de tipologias T1 a T4, e 5 estabelecimentos comerciais”. “É uma construção de grande envergadura, pelo que estamos unicamente focados nesta obra”; revelou, prevendo a sua conclusão no final deste ano.

O que diferencia a AP Construções é, segundo Raquel Pereira, a “experiência, a qualidade e a vontade de inovar”. “Além da melhoria constante nas soluções técnicas e procura de materiais inovadores, valorizamos o design de interiores, porque privilegiamos a personalização de cada edifício, assim como a funcionalidade e um bom acabamento”, contou.

O facto de ser uma empresa familiar, “permite acompanhar todo o processo, desde a construção à entrega da casa, e por isso acompanhar o cliente de forma muito personalizada e presente”, adiantou. 

Raquel Pereira disse que a pandemia alterou muitos dos hábitos. “Devido ao teletrabalho, há uma maior procura para casas confortáveis, funcionais e adaptadas ao nosso estilo de vida”, revelou, acrescentando que os clientes dão cada vez mais importância “a casas com varandas”.

Quando ao mercado de vendas, a responsável pelo design de interior referiu que face a 2020, continua a “haver procura e vendemos de forma consistente”.

Últimas Notícias

Suspeito de esfaqueamento detido pela Judiciária

Um homem de 24 anos que tentou matar outro com uma faca, no ano passado em Rio Maior, foi detido no dia 24 de maio pelo Departamento de Investigação Criminal de Leiria da Polícia Judiciária em Ferrel, no concelho de Peniche.

João Almeida com Covid-19 desiste do Giro d’Italia

A 18ª etapa do Giro d’Italia, nesta quinta-feira, fica marcada pela ausência do ciclista caldense João Almeida, que acusou positivo à Covid-19, sendo assim forçado a abandonar a prova, quando ocupava o quarto lugar, a 1 minuto e 54 segundos do líder e a 49 segundos do pódio.

Aluna caldense “Embaixadora UC à Frente” 

A caldense Beatriz Lopes, estudante do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas na Universidade de Coimbra, recebeu o prémio “UC à Frente”, atribuído pela Reitoria da Universidade de Coimbra (UC).