emissão em direto

Inquérito da ACCCRO revela receios de quebra de faturação sem o habitual concerto de 14 de maio

O concerto que habitualmente se realizava nas Caldas da Rainha na noite de 14 de maio, véspera do feriado municipal, fazia aumentar a faturação dos comerciantes, revelou a Associação Empresarial das Caldas da Rainha e Oeste (ACCCRO), na sequência de um inquérito aos associados com o objetivo de analisar o impacto económico da alteração do […]

O concerto que habitualmente se realizava nas Caldas da Rainha na noite de 14 de maio, véspera do feriado municipal, fazia aumentar a faturação dos comerciantes, revelou a Associação Empresarial das Caldas da Rainha e Oeste (ACCCRO), na sequência de um inquérito aos associados com o objetivo de analisar o impacto económico da alteração do espetáculo, que este ano será organizado à tarde no Dia da Cidade.

Pela primeira vez nas festas do feriado municipal, fora do período de maiores restrições por causa da Covid-19, não decorrerá o habitual concerto na noite de 14 de maio. Haverá um espetáculo no feriado de 15 de maio, pelas 18h00, no Parque D. Carlos I, com Cuca Roseta, uma reconhecida voz do fado da atualidade.

Para a ACCCRO, com base nos dados recolhidos nas 125 respostas obtidas (22% da massa associativa da ACCCRO) no questionário promovido pela associação, os empresários expressaram-se de “forma inequívoca, ficando bem patente o aumento do volume de vendas com a realização do habitual concerto no dia 14 de maio, nos moldes praticados antes da pandemia”. “Os resultados são bastante representativos, 75,2% dos inquiridos (94 associados) mencionaram que a faturação aumentou”, fez notar a direção da ACCCRO, que transmitiu à Câmara esse resultado, esperando que considere o mesmo.

A associação aponta que o seu objetivo fulcral é “fomentar e impulsionar a economia, por forma a que os agentes económicos consigam aumentar a rentabilidade do seu negócio”.

A grande maioria das empresas que respondeu localiza-se na área urbana das Caldas da Rainha (cerca de 90%), e as restantes 10% situam-se na zona periférica da cidade. As áreas de negócio mais registadas foram a cafetaria (41,6%), seguida do comércio (24,8%) e da restauração (24%).

A ACCCRO revelou também algumas das sugestões mencionadas pelo tecido empresarial sobre esta questão, uma das quais relata que o 14 de maio “é sempre cheio de reservas para jantar” e que este ano “sem movimento na cidade e ainda por cima a um sábado, é uma pena”.

Outro dado do inquérito resulta da pergunta se os festejos do feriado municipal nos moldes apresentados para este ano farão aumentar a faturação. “78,4% dos inquiridos (98 associados) mencionaram que a faturação não irá aumentar. Neste caso, 70,8% dos inquiridos (68 associados) mencionaram que a faturação irá diminuir até 5%, 15,6% (15 associados) menciona que a faturação poderá diminuir entre 6% a 10%, sendo que os restantes 13,5% perspetivam que poderá descer de 16% a um nível superior”, descreveu a ACCCRO.

Últimas Notícias

Suspeito de esfaqueamento detido pela Judiciária

Um homem de 24 anos que tentou matar outro com uma faca, no ano passado em Rio Maior, foi detido no dia 24 de maio pelo Departamento de Investigação Criminal de Leiria da Polícia Judiciária em Ferrel, no concelho de Peniche.

João Almeida com Covid-19 desiste do Giro d’Italia

A 18ª etapa do Giro d’Italia, nesta quinta-feira, fica marcada pela ausência do ciclista caldense João Almeida, que acusou positivo à Covid-19, sendo assim forçado a abandonar a prova, quando ocupava o quarto lugar, a 1 minuto e 54 segundos do líder e a 49 segundos do pódio.

Aluna caldense “Embaixadora UC à Frente” 

A caldense Beatriz Lopes, estudante do Mestrado Integrado em Ciências Farmacêuticas na Universidade de Coimbra, recebeu o prémio “UC à Frente”, atribuído pela Reitoria da Universidade de Coimbra (UC).