emissão em direto

próximo programa

Ver programação completa

Investigador ligado a Peniche ganha prémios de fotografia

O biólogo marinho e fotógrafo de conservação Nuno Vasco Rodrigues conquistou o primeiro lugar na categoria de fotógrafo de conservação do ano e obteve a segunda posição na categoria de fotojornalismo do ano, na competição de fotografia sobre o Oceano, promovida anualmente pela Ocean Geographic Society. As distinções foram divulgadas no Dia Mundial dos Oceanos, a 8 de junho.

Nuno Vasco Rodrigues é também investigador do Mare-Politécnico de Leiria e coordenador de Cogestão da Reserva Natural das Berlengas, e antigo estudante de Biologia Marinha e Biotecnologia na Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar em Peniche.

A fotografia que deu o primeiro lugar do pódio ao fotógrafo de conservação português foi escolhida por Sylvia Earle, pioneira lendária do mundo subaquático e exploradora residente da National Geographic, que realçou que a imagem premiada é um “motivo de esperança, que atinge em cheio o coração”. “All hands on deck” é o nome da fotografia, feita a sul da ilha do Pico e que ilustra investigadores da Universidade dos Açores numa recolha de lixo marinho na superfície do mar. Nuno Rodrigues utilizou o “split-shot”, uma técnica que abrange uma parte subaquática e outra parte emersa.

Na categoria de fotojornalismo do ano, Nuno Rodrigues concorreu com uma história denominada “Azorean Blues”, que descreve um projeto piloto de investigação sobre os movimentos de tubarões-azuis em águas açorianas, desenvolvido por investigadores da universidade local. A história será publicada na edição de julho da revista da Ocean Geographic.

Últimas Notícias

Equipa do Acrotramp vence Scalabis Cup

Decorreu nos dias 8, 9 e 10 de julho, a Scalabis Cup, competição Internacional de ginástica, no Pavilhão Desportivo Municipal de Santarém, reunindo cerca de 500 ginastas em representação de vários países. O Acrotramp Clube de Caldas esteve representado nesta competição com seis ginastas seniores de 1ª divisão e elite (três em duplo minitrampolim e três em tumbling).

Caldas da Rainha esteve em alerta mas DGS corrigiu números

A Direção-Geral da Saúde procedeu na passada segunda-feira a uma correção da incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes nas Caldas da Rainha, para o período de 24 de junho a 7 de julho, o que retirou o concelho do estado de alerta em que havia sido colocado indevidamente por resolução do Conselho de Ministros na quinta-feira anterior.