emissão em direto

próximo programa

Ver programação completa

Mais de 5 horas à espera da vacina nas Caldas

O processo de vacinação no Pavilhão da Mata, nas Caldas da Rainha, no passado sábado, voltou a deixar os utentes à beira de um ataque de nervos, depois de muitos deles terem sido obrigados a ficar horas à espera – em diversos casos mais de cinco horas – para serem vacinados.

Foram muitas as queixas ouvidas no local, repetindo o cenário já verificado em algumas ocasiões anteriores ao fim-de-semana.

A falta de capacidade de resposta perante o agendamento efetuado no Centro de Vacinação das Caldas da Rainha teve com consequência o ajuntamento de pessoas, quer no exterior quer no interior do pavilhão, levando quem lá se encontrava a questionar o cumprimento das distâncias de segurança.

O argumento invocado anteriormente pela task force de vacinação de que a lentidão resultava de vários utentes chegarem antes da hora marcada não pode ser utilizado desta vez, já que a espera foi demasiada para o agendamento efetuado para a inoculação.

Num fim de semana em que os professores do primeiro ciclo estavam em grande número para serem vacinados pela segunda vez, muitos receberam uma mensagem por SMS a reagendar a hora que estava marcada no cartão da primeira dose.

A situação foi agravada quando foi dada ordem para entrada no pavilhão a quem quisesse receber a vacina da Astrazeneca em vez da Pfizer, sob o pretexto de ser mais rápido, o que acabou por não acontecer, pois quem entrou perdeu a vez que estava no cartão, passando a ser chamado de forma aleatória. Resultado: uma acumulação no interior do pavilhão.

Últimas Notícias

Equipa do Acrotramp vence Scalabis Cup

Decorreu nos dias 8, 9 e 10 de julho, a Scalabis Cup, competição Internacional de ginástica, no Pavilhão Desportivo Municipal de Santarém, reunindo cerca de 500 ginastas em representação de vários países. O Acrotramp Clube de Caldas esteve representado nesta competição com seis ginastas seniores de 1ª divisão e elite (três em duplo minitrampolim e três em tumbling).

Caldas da Rainha esteve em alerta mas DGS corrigiu números

A Direção-Geral da Saúde procedeu na passada segunda-feira a uma correção da incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes nas Caldas da Rainha, para o período de 24 de junho a 7 de julho, o que retirou o concelho do estado de alerta em que havia sido colocado indevidamente por resolução do Conselho de Ministros na quinta-feira anterior.