emissão em direto

PSP identifica cidadãos indianos e jovens portugueses em conflito

A PSP das Caldas da Rainha teve de intervir para pôr cobro à movimentação de um grupo de mais de três dezenas de cidadãos da comunidade indiana residente na região, que cercou dois jovens portugueses, na tarde do passado dia 7, nas proximidades do antigo Lidl.

A PSP das Caldas da Rainha teve de intervir para pôr cobro à movimentação de um grupo de mais de três dezenas de cidadãos da comunidade indiana residente na região, que cercou dois jovens portugueses, na tarde do passado dia 7, nas proximidades do antigo Lidl.

Os jovens, ainda menores de idade, queixam-se de terem sido agredidos com soqueiras, ferros e paus pelo grupo, que por sua vez sustenta que os iria levar para a esquadra da PSP no seguimento de denúncias feitas às autoridades policiais de alegadas agressões e intimidações, e de atos de racismo e xenofobia contra membros da comunidade indiana, supostamente estarão a ser praticados há algumas semanas por um grupo de jovens dos 14 aos 22 anos, do qual fazem parte esses menores. Por seu lado, os portugueses têm alegado a existência de provocações e assédios a raparigas por parte dos estrangeiros.

Estas duas versões distintas estão a ser investigadas pelas autoridades policiais. Foi aberto um inquérito para o apuramento dos factos e comunicação ao Ministério Público.

Em relação ao que se passou no dia 7, e que foi divulgado nas redes sociais em dois vídeos gravados por moradores nas imediações do local onde se verificou a ocorrência que justificou a ação da PSP, os dois jovens foram detetados pelo grupo da comunidade indiana e terão sido agredidos e obrigados a entrar numa carrinha, a poucas centenas de metros da esquadra da PSP, para onde alegadamente iriam ser levados.

A carrinha chegou a partir, mas passados alguns metros foi mandada encostar pela PSP, que, alertada, apareceu naquele momento e identificou alguns elementos da comunidade indiana e os menores.

Quando os menores entram no carro da polícia, que os retira do local, os ânimos têm de ser acalmados.

As autoridades policiais consideram que apesar de não ser uma situação habitual, este caso obriga a um reforço da sua visibilidade na cidade, para dissuadir eventuais tentativas de ajustes de contas, procurando sublinhar a mensagem de que caberá à justiça judicial definir a culpa das partes envolvidas.

Últimas Notícias

Novo presidente do Politécnico quer afirmação como Universidade

“Após 40 anos de existência do Instituto Politécnico de Leiria, defendo que reunimos hoje as condições para nos afirmarmos como Universidade, que para além do ensino politécnico, ministre também o ensino universitário, podendo outorgar todos os graus académicos previstos na lei”, afirmou Carlos Rabadão, após ser empossado presidente do Politécnico de Leiria no dia 22 de setembro.

Festival de Insufláveis assinala regresso às aulas

De forma a assinalar o início de um novo ano letivo, o Município de Óbidos, com a colaboração da FADL – Federação das Associações Juvenis do Distrito de Leiria e da Associação Óbidos Dance, pretende proporcionar às crianças um dia diferente, cheio de atividade física e diversão.

Festival Eutopia no golfe do Bom Sucesso Resort

O Bom Sucesso Resort, junto à Lagoa de Óbidos, vai receber a primeira edição do festival Eutopia, um evento que pretende unir a arte, a arquitetura e o golfe. A iniciativa dedicada à cultura contemporânea vai decorrer nos dias 1 e 2 de outubro e destaca-se, entre outros aspetos, pelo local definido para a sua […]

Autarcas pedem levantamento de interdição da “toneira” na Lagoa

Reuniram no passado dia 22, com caráter de urgência, nos Paços do Concelho, em Óbidos, os presidentes da Câmara Municipal de Óbidos, Filipe Daniel, e das Caldas da Rainha, Vítor Marques, e da Junta de Freguesia do Vau, Frederico Lopes, com a secretária de Estado das Pescas, Agricultura e Alimentação, Teresa Coelho, com o intuito de manifestar a preocupação referente à Portaria número 238/2022, de 15 de setembro, que aprova as normas reguladoras do exercício da pesca comercial nas águas interiores não marítimas na Lagoa de Óbidos.