emissão em direto

Recriação histórica assinalou 650 anos da constituição da vila

O Cadaval assinalou, a 1 de dezembro, os 650 anos da constituição da vila, comemoração que incluiu uma recriação histórica e uma palestra sobre o tema. Contemplou também uma inédita mostra do livro original onde está publicada a Carta de Constituição da Vila, patente na Biblioteca Municipal até dia 17.

O Cadaval assinalou, a 1 de dezembro, os 650 anos da constituição da vila, comemoração que incluiu uma recriação histórica e uma palestra sobre o tema. Contemplou também uma inédita mostra do livro original onde está publicada a Carta de Constituição da Vila, patente na Biblioteca Municipal até dia 17.

A palestra “O ano de 1371 no Cadaval” marcou o arranque do dia comemorativo dos 650 anos da constituição da vila do Cadaval, por carta régia concedida por D. Fernando naquele ano. Realizado na Biblioteca Municipal, o encontro contou com a presença e intervenção de Manuela Santos Silva, autora do livro “O primeiro concelho do Cadaval (1371-1496) ”, editado pelo Município em 2004 e a reeditar durante o próximo ano.

Manuela Santos Silva é mestre e doutorada em história medieval, docente na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e diretora do mestrado de história.

Coube a Fátima Paz, vice-presidente da Câmara, abrir a conferência, tendo assinalado o facto de, até 25 de abril de 1974, ser o dia da fundação do concelho (1 de dezembro) a data comemorada pelos cadavalenses. “Após o 25 de Abril, o Cadaval passou a comemorar a 13 de janeiro a restauração do concelho, que ocorreu no ano de 1898”, disse a também vereadora da cultura. “São duas datas importantes da nossa história”, manifestou.

“Com esta iniciativa, o Município pretende promover o conhecimento da história do concelho”, declarou Fátima Paz.

“Em 1371, o Cadaval deixa de pertencer ao concelho de Óbidos, tornando-se um concelho autónomo em duas fases: em 10 de julho de 1371, através das freguesias do Peral e Cercal, e a 1 de dezembro de 1371, com as freguesias do Cadaval, Peral, Cercal, Vilar e Figueiros”, explicou Manuela Silva.

“Continuará a ser um concelho privado, exceto em períodos de crise, em que volta a obedecer ao concelho de Óbidos, por exemplo em 1383-85”, assinalou.

De seguida, teve lugar a abertura oficial da mostra do Livro 1 da Chancelaria do Rei D. Fernando, onde consta a Carta de Constituição da Vila original, cedida pela Direção-Geral dos Livros, dos Arquivos e das Bibliotecas e oriundo do Arquivo Nacional da Torre do Tombo (Lisboa).

Um momento de recriação histórica de todo o momento fechou as celebrações.

Últimas Notícias

Suspeito de esfaqueamento detido pela Judiciária

Um homem de 24 anos que tentou matar outro com uma faca, no ano passado em Rio Maior, foi detido no dia 24 de maio pelo Departamento de Investigação Criminal de Leiria da Polícia Judiciária em Ferrel, no concelho de Peniche.

João Almeida com Covid-19 desiste do Giro d’Italia

A 18ª etapa do Giro d’Italia, nesta quinta-feira, fica marcada pela ausência do ciclista caldense João Almeida, que acusou positivo à Covid-19, sendo assim forçado a abandonar a prova, quando ocupava o quarto lugar, a 1 minuto e 54 segundos do líder e a 49 segundos do pódio.