emissão em direto

próximo programa

Ver programação completa

Trio detido com 115 quilos de meixão

No seguimento de uma investigação que decorria há cerca de dois anos, os elementos do Núcleo de Investigação de Crimes e Contraordenações Ambientais da GNR deram no passado dia 27 cumprimento a quatro mandados de busca domiciliária, tendo detido na Nazaré um homem de 48 anos pelo crime de dano contra a natureza e detetado 1,8 quilos de meixão vivo em depósitos de água com sistemas de oxigenação, para comercialização.

No decorrer da operação foram ainda apreendidos 1750 euros, diversos telemóveis, rádios, munições e materiais associados à prática da pesca ilegal de meixão.

O meixão apreendido foi devolvido ao seu habitat natural e o processo remetido ao Tribunal Judicial de Leiria.

No decorrer da investigação, no total, foram apreendidos 115 quilos de meixão e detidos três indivíduos.

Esta ação contou com o reforço da estrutura de investigação criminal e da estrutura de proteção da natureza e do ambiente do Comando Territorial de Leiria da GNR, e com o apoio da PSP e do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas.

A enguia juvenil/meixão é uma espécie considerada em perigo e que tem sofrido grande redução em razão da pesca ilegal, que impede o normal ciclo de reprodução e coloca em causa a sustentabilidade da espécie. O valor do meixão no mercado final (países europeus e asiáticos), varia consoante os meses e pode alcançar um valor de seis mil euros por quilo.

Últimas Notícias

Equipa do Acrotramp vence Scalabis Cup

Decorreu nos dias 8, 9 e 10 de julho, a Scalabis Cup, competição Internacional de ginástica, no Pavilhão Desportivo Municipal de Santarém, reunindo cerca de 500 ginastas em representação de vários países. O Acrotramp Clube de Caldas esteve representado nesta competição com seis ginastas seniores de 1ª divisão e elite (três em duplo minitrampolim e três em tumbling).

Caldas da Rainha esteve em alerta mas DGS corrigiu números

A Direção-Geral da Saúde procedeu na passada segunda-feira a uma correção da incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes nas Caldas da Rainha, para o período de 24 de junho a 7 de julho, o que retirou o concelho do estado de alerta em que havia sido colocado indevidamente por resolução do Conselho de Ministros na quinta-feira anterior.