emissão em direto

António Morgado campeão nacional de fundo e de contrarrelógio

O caldense António Morgado conquistou neste fim de semana, no Bombarral, os títulos de campeão nacional de fundo e de campeão nacional de contrarrelógio em juniores masculinos.

O caldense António Morgado conquistou neste fim de semana, no Bombarral, os títulos de campeão nacional de fundo e de campeão nacional de contrarrelógio em juniores masculinos.

No sábado, o jovem de Salir do Porto, da equipa da Bairrada, pulverizou a concorrência, à semelhança daquilo que tinha feito no ano passado.

O corredor completou o seu esforço individual de doze quilómetros em 15m45s, menos 28 segundos do que o segundo classificado e menos 53 segundos do que o terceiro. Repetindo o pódio de 2021, os seus colegas de equipa, Gonçalo Tavares e Rúben Rodrigues, terminaram na segunda e terceira posições, respetivamente.

António Morgado, já habituado ao sabor da vitória, revelou que “é muito bom conseguir repetir o título. É sempre um objetivo da época e foi cumprido. Era um contrarrelógio curto e encontro-me numa fase em que me estou a dar melhor nos contrarrelógios mais longos. No entanto, posso dizer que este me correu muito bem”.

Já no setor feminino desta mesma categoria, Mariana Líbano (Velo Performance/JS Campinense) mostrou-se também a outro nível, comparativamente às suas adversárias. A corredora ganhou mais de um minuto à segunda classificada, Íris Chagas (Cantanhede Cycling/VESAM), após completar o seu contrarrelógio em 15m08s. Laura Simão (5Quinas/Município de Albufeira/CDASJ) foi terceira, a 1m27s.

A disputa pelo título nacional de contrarrelógio na categoria de cadetes masculinos, na distância de nove quilómetros, não poderia ter sido mais equilibrada, com o vencedor e o segundo classificado a ficarem separados por pouco apenas um segundo. A vitória ficaria para Rafael Durães (Silva&Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel), que bateu o seu colega de equipa, José Moreira. Bernardo Leal (Cantanhede Cycling/2W Engenharia) fechou o pódio na terceira posição, a 32 segundos do novo campeão nacional.

No feminino as diferenças também não foram significativas, com Daniela Simão (Extremosul/Hotel Alísios/Cenmais) a sagrar-se campeã nacional de contrarrelógio, após bater o tempo da sua colega de equipa, Raquel Dias, por apenas três segundos. Beatriz Guerra (Velo Performace/JS Campinense) terminou em terceiro lugar.

Foi dia de estreia para os juvenis, que disputaram o seu primeiro campeonato nacional, traduzido numa prova de fundo. Os setores masculino e feminino partiram em conjunto para os 21 quilómetros da corrida, correspondente a duas voltas a um circuito. O título masculino ficaria decidido ao sprint, com Rui Sabino (União Ciclismo da Trofa) a levar a melhor sobre Guilherme Ribeiro (Academia Ciclismo de Paredes) e Gonçalo Costa (Póvoa Cycling Academy/CDC Navais), que terminaram na segunda e terceira posições, respetivamente.

Já no feminino, Mariana Resende (Escola de Ciclismo de Oeiras/SPC) conseguiu segurar a liderança da corrida até ao final, vencendo isolada. Bárbara Santos (Freebike Shop/Bike Clube S.Brás) terminou na segunda posição, a apenas dois segundos, e Carolina Namora (Agência Avenida/D’Helvetia) fechou em terceiro, a dez segundos.

No domingo, foram disputadas as provas de fundo para as categorias de cadetes e juniores masculinos. Os cadetes tiveram pela frente um percurso com 78 quilómetros, correspondentes a quatro voltas a um circuito. Os juniores efectuaram um percurso de 117 quilómetros, totalizando seis voltas ao circuito.

Assumindo a frente da corrida desde os quilómetros iniciais, António Morgado fez a dobradinha e conquistou o título de campeão nacional de fundo em juniores masculinos. Gonçalo Tavares (Bairrada) foi segundo e Daniel Lima (Bairrada) foi terceiro.

A meio da primeira volta desta prova de fundo destacou-se um grupo de treze corredores, que acabou por se ir fragmentando até à primeira passagem pela meta. Nessa altura, eram já apenas cinco corredores na frente da corrida. Entre eles, António Morgado, Gonçalo Tavares e Daniel Lima, João Martins (Póvoa Cycling Academy/CDC Navais) e Duarte Domingues (Escola de Ciclismo Bruno Neves). Em posição intermédia seguiam Rúben Rodrigues (Bairrada) e Tomás Mota (Landeiro/KTM/Matias&Araujo/Frulact), a cerca de 30 segundos. O pelotão estava a 50 segundos, liderado por três equipas: Mato Cheirinhos/Vila Galé/Etopi, Landeiro/KTM/Matias&Araujo/Frulact e Centro de Ciclismo de Loulé.

Durante a segunda volta, António Morgado impôs o seu ritmo, isolando-se em cabeça de corrida, quando faltavam ainda mais de 80 quilómetros para o final, dos 117 que compunham a prova. António Morgado, já nesta fase inicial da corrida, ia a grande velocidade, com mais de 1m30s de vantagem em relação ao pelotão que seguia compacto, liderado pela equipa Landeiro/KTM/Matias&Araujo/Frulact).

Assumindo a liderança da prova, António Morgado foi construindo a sua vantagem e, à entrada para a última das seis voltas ao circuito, levava já mais de 2m30s de vantagem para os perseguidores, que eram, nessa altura, Tiago Nunes (Silva&Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) e os seus colegas de equipa, Daniel Lima e Gonçalo Tavares.

António Morgado cortou a meta isolado e explicou como chegou à vitória: “O campeonato nacional é sempre uma corrida difícil porque é só um dia e nunca se pode facilitar. A equipa tentou endurecer logo desde início e na primeira volta conseguimos sair logo num grupo com cinco corredores da Bairrada. A ideia era levar a corrida assim pelo menos até à quarta ou quinta volta, mas o pelotão estava a aproximar-se e tivemos de acelerar novamente e eu consegui sair. Esta vitória é dedicada à equipa e aos meus colegas que me ajudaram”.

Passados 3m28s chegaram os seus colegas de equipa, Gonçalo Tavares e Daniel Lima, que cortaram a meta abraçados em jeito de celebração.

Na categoria de cadetes masculinos, depois de ter sido vice-campeão nacional de contrarrelógio, José Moreira subiu ao lugar mais alto do pódio para vestir a camisola de campeão nacional de fundo. Diogo Miranda (Landeiro/KTM/Matias&Araujo/Frulact) foi segundo e Miguel Pereira (Santa Maria da Feira/Segmento D’Época/Reol) fechou o pódio em terceiro.

Últimas Notícias

Unidades hoteleiras nomeadas para os prémios Publituris

O The Literary Man Óbidos Hotel (categoria melhor hotel de 4 estrelas), o Rio do Prado (categoria melhor hotel de 3 estrelas) e o Royal Óbidos Spa & Golf Resort (categoria melhor campo de golfe) estão nomeados para os prémios Publituris Portugal Travel Awards – 2022, a maior distinção turística a nível nacional, cujos vencedores serão divulgados no dia 18 de outubro.

Novo presidente do Politécnico quer afirmação como Universidade

“Após 40 anos de existência do Instituto Politécnico de Leiria, defendo que reunimos hoje as condições para nos afirmarmos como Universidade, que para além do ensino politécnico, ministre também o ensino universitário, podendo outorgar todos os graus académicos previstos na lei”, afirmou Carlos Rabadão, após ser empossado presidente do Politécnico de Leiria no dia 22 de setembro.

Festival de Insufláveis assinala regresso às aulas

De forma a assinalar o início de um novo ano letivo, o Município de Óbidos, com a colaboração da FADL – Federação das Associações Juvenis do Distrito de Leiria e da Associação Óbidos Dance, pretende proporcionar às crianças um dia diferente, cheio de atividade física e diversão.

Festival Eutopia no golfe do Bom Sucesso Resort

O Bom Sucesso Resort, junto à Lagoa de Óbidos, vai receber a primeira edição do festival Eutopia, um evento que pretende unir a arte, a arquitetura e o golfe. A iniciativa dedicada à cultura contemporânea vai decorrer nos dias 1 e 2 de outubro e destaca-se, entre outros aspetos, pelo local definido para a sua […]