emissão em direto

Cascas de caracóis iluminaram procissão no Carvalhal

A aldeia do Carvalhal, no Bombarral, mantém a tradição das Luminárias, que terão tido o seu início na última década do século XlX, pelo pároco da altura, que sugeriu à população que na noite de 19 de março iluminasse as ruas com cascas de caracóis.      

A aldeia do Carvalhal, no Bombarral, mantém a tradição das Luminárias, que terão tido o seu início na última década do século XlX, pelo pároco da altura, que sugeriu à população que na noite de 19 de março iluminasse as ruas com cascas de caracóis.      

A tradição foi retomada em 1969 pelo padre José Manuel Ferreira de Moura, que aliciou os Josés do Carvalhal que fizessem de novo a antiga Festa de São José (Dia do Pai).

É uma das tradições que marca a cultura e identidade da freguesia, envolvendo todos os seus moradores.

No passado dia 19, ao anoitecer, foi possível encontrar inúmeros pontos de luz oriundos das cascas de caracóis, meticulosamente enchidas com azeite e um pavio no seu interior, que decoraram as portas, paredes e os muros de cada casa da aldeia , dando-lhes uma beleza única e solene.

A festa culminou com a passagem da procissão em honra de S. José pelas ruas iluminadas e acompanhada pela banda da Sociedade Filarmónica Carvalhense até à Igreja do Santíssimo Sacramento.

A organização esteve a cargo da Irmandade do Santíssimo Sacramento e contou com o apoio da Junta de Freguesia do Carvalhal.

Últimas Notícias

EB de St.º Onofre convida população a participar numa Flash Mob

No âmbito das comemorações dos 30 anos da EB de St.º Onofre do Agrupamento de Escolas Raul Proença, vai ser realizada uma iniciativa de mobilização pela turma H do 5.º ano, no âmbito de um projeto interdisciplinar envolvendo as disciplinas de Cidadania e Desenvolvimento, Inglês, Educação Musical e Educação Física.

Bombeiros não querem ser associados a elemento participante em “reality show”

Os Bombeiros Voluntários do Bombarral emitiram um comunicado, assinado pelo comandante, Pedro Lourenço, e pelo presidente da associação humanitária, Vítor Garcia, em que repudiam ser associados a atitudes por parte de um dos seus elementos, Tiago Rodrigues, que esteve a participar no programa “Era uma vez na Quinta”, transmitido na SIC.