emissão em direto

próximo programa

Ver programação completa

Coração de Latão, grupo solidário que troca artigos por géneros alimentares

“Ajudar o próximo!” é o lema do grupo Coração de Latão, que surgiu há seis meses em Caldas da Rainha através de uma página nas redes sociais. Esta iniciativa, que pretende “ajudar a criar um mundo melhor e fazer mais corações felizes”, tem um conceito diferente das restantes associações de solidariedade social, trocando os artigos à venda na página por géneros alimentares, de preferência enlatados, não lidando assim com dinheiro. Atualmente presta apoio a doze famílias de quinze em quinze dias.

Criado em dezembro do ano passado, o Coração de Latão surgiu através da vontade que a responsável pelo projeto, Anabela Timóteo, teve de “poder ajudar os mais desfavorecidos, pois também passei por uma fase menos boa na vida”. Começou por ser voluntária noutras associações e grupos de solidariedade social da cidade, mas mais tarde decidiu apostar numa iniciativa sozinha.

O grupo, que funciona apenas através da página nas redes sociais, começou por não lidar com dinheiro, recebendo e disponibilizando apenas os artigos na página para serem vendidos, com o “intuito de poder ajudar os mais necessitados”. “A minha intenção sempre foi primar pela diferença, em relação aos movimentos solidários já existentes na cidade”, sublinhou Anabela Timóteo, adiantando que “aqui cada artigo doado ao grupo é colocado à venda na página, com um preço em géneros alimentares, de preferência enlatados, de modo, a poder ajudar quem mais necessita”.

Sem qualquer tipo de financiamento, sendo todas as despesas suportadas pela responsável e pelas doações que recebe, às quais faz questão de tirar fotografia do recibo e enviar a quem deu o dinheiro, a responsável compromete-se “a não usufruir de qualquer tipo de benefício com o projeto, simplesmente pretende ajudar a criar um mundo melhor, e fazer mais corações felizes”. Nesse sentido começou por ajudar a Refood, Joaquim Sá, Tarefa Altruísta, Ordem do Trevo, entre outras, mas com o aumento da procura deixou de as poder ajudar, estando atualmente a prestar apoio apenas às suas próprias famílias.

“Vou levar porta a porta, de quinze em quinze dias, um cabaz com pacotes de massa e de arroz, caixas de cereais, um pack de leite, enlatados, polpa de tomate, açúcar, sal e tostas”, relatou Anabela Timóteo, que ajuda famílias de Caldas da Rainha, Peniche, Bombarral, Alfeizerão e São Martinho do Porto. Além do cabaz com bens alimentares, a responsável também entrega uma vez por mês o “básico de produtos de higiene, como shampoo, gel banho e papel higiénico”.

O Coração de Latão também recebe e doa gratuitamente vestuário a quem mais precisa, “desde que estejam em bom estado”, sublinhou a responsável. Igualmente recebe louças e “outros cacarecos”, que posteriormente são vendidos na Feira das Velharias que decorre no Parque D. Carlos l, e onde “todo o dinheiro das vendas é revertido em alimentos e bens de higiene para os utentes”.

Tudo o que seja relacionado com móveis ou eletrodomésticos, o grupo não lida com isso.

A página serve também para procura e oferta de casa, de trabalho, ou então para pedirem ou doarem algo.

Para Anabela Timóteo, que divide o seu tempo entre o projeto e o seu emprego, “não tem sido uma tarefa fácil, mas é algo gratificante”.

Neste momento, o Coração de Latão não tem sede, o que segundo a presidente acaba por dificultar os seus planos, visto que guarda as doações e os géneros alimentares na sua própria casa, ou então numa garagem de uma amiga. “Para dar o passo em frente precisava mesmo de arranjar um espaço físico, que fosse cedido ou então barato para poder alugar”, contou Anabela Timóteo.

Últimas Notícias

Equipa do Acrotramp vence Scalabis Cup

Decorreu nos dias 8, 9 e 10 de julho, a Scalabis Cup, competição Internacional de ginástica, no Pavilhão Desportivo Municipal de Santarém, reunindo cerca de 500 ginastas em representação de vários países. O Acrotramp Clube de Caldas esteve representado nesta competição com seis ginastas seniores de 1ª divisão e elite (três em duplo minitrampolim e três em tumbling).

Caldas da Rainha esteve em alerta mas DGS corrigiu números

A Direção-Geral da Saúde procedeu na passada segunda-feira a uma correção da incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes nas Caldas da Rainha, para o período de 24 de junho a 7 de julho, o que retirou o concelho do estado de alerta em que havia sido colocado indevidamente por resolução do Conselho de Ministros na quinta-feira anterior.

Intensificação da vacinação motiva filas nas Caldas

A intensificação da vacinação para dar resposta à variante Delta da Covid-19 tem causado em alguns períodos filas ao longo de mais de duas horas no exterior do Pavilhão da Mata, onde funciona o Centro da Vacinação, e apesar da dificuldade em dar escoamento ao aumento de utentes, os profissionais de saúde vão tentando gerir a situação após os primeiros dias em que a capacidade de resposta foi insuficiente