emissão em direto

próximo programa

Ver programação completa

Empreendedorismo escolar premiado em concurso de ideias

Alunos das várias escolas das Caldas da Rainha desenvolveram ideias de promoção de negócios que levaram à 14ª edição do concurso de empreendedorismo promovido pela AIRO - Associação Empresarial da Região Oeste e pelo Município das Caldas da Rainha, tendo no passado dia 27 sido distinguidos cinco projetos entre os onze finalistas.

Iniciada no ano letivo de 2006/2007, a iniciativa lança sementes na comunidade escolar para futuros empreendedores, tendo nesta edição havido trinta ideias de negócio, em áreas como sugestões de controlo e mitigação da Covid-19, sustentabilidade, criação de soluções tecnológicas e na área social. A preservação do ambiente e valorização dos recursos endógenos foram também uma preocupação dos projetos.

A Escola Técnica Empresarial do Oeste (ETEO) foi reconhecida como a mais empreendedora e a Escola de Hotelaria e Turismo do Oeste (EHTO) como a mais criativa.

No ensino secundário houve dois primeiros lugares do Concurso de Empreendedorismo nas Escolas, ex-aequo. Um deles foi para o projeto Discovering Industries, apresentado pelos alunos do Curso de Gestão de Turismo da EHTO, João Silva Luís, Inês Sousa e Manuel Pais.

Consiste na criação de uma empresa dedicada à elaboração e planeamento de uma rota de turismo industrial, que explore e dê a conhecer produtos endógenos das Caldas da Rainha, como a cerâmica, as cavacas e os bordados, e métodos de produção.

O outro distinguido foi o projeto Mata, de Carolina Barrelas, do 10º ano da Escola Secundária Raúl Proença. A ideia base é criar uma empresa para dinamização da Mata Rainha D. Leonor. A intenção é organizar atividades e condições para que crianças e adultos, em momentos de lazer através de experiências e aventuras variadas.

Prevê zonas com bar e biblioteca, música ambiente, horta pedagógica, com estufa, compostagem, zona sanitária, abrigos de madeira nas árvores, com janelas envidraçadas, para estar a ler ou estudar, parque de obstáculos, criação de circuito de arborismo e slide.

O projeto Gridi, de Maria Madalena Santos, do 10º ano da Escola Secundária Rafael Bordalo Pinheiro, foi o segundo classificado. A ideia é a criação de uma empresa para combater o desperdício agrícola, comprando os produtos em excesso ou que não estão muito apelativos a agricultores locais a preço justo, evitando que vão para lixo.

Da ETEO ficou em terceiro lugar o projeto Confraria da Codorniz, de Letícia Bento e Rodrigo Gomes, do 12º ano de Turismo, que visa dinamizar o produto turístico gastronómico da freguesia do Landal, com organização de eventos.

O projeto Máscaraponto, de Nicole Santos e Tiago Baptista, do curso Técnico de Comunicação, Marketing, Relações Públicas e Publicidade, do 12º ano do Colégio Rainha D. Leonor, venceu o prémio superação Covid-19.

O objetivo é a criação de um ecoponto nas escolas do concelho de Caldas da Rainha só para máscaras descartáveis de proteção da Covid-19, evitando que sejam deixadas no chão ou nos tradicionais ecopontos, contentores de lixo ou papeleiras.

Da EHTO, o projecto Dobras, Lda, ganhou o prémio inovação, apresentado pelos alunos Ruben Nascimento, Beatriz Fernandes, Rui Coito e Diogo Alexandre Figueiredo, finalistas dos cursos de Técnicas de Cozinha e Pastelaria e Técnicas de Serviço, Restauração e Bebidas.

O projeto baseia-se numa criação de uma máquina que faz variadas formas de dobras de guardanapos em tempo recorde, que traduz numa significativa ajuda para os profissionais de restaurantes. O equipamento resultaria de uma parceria com alunos do Centro de Formação Profissional da Indústria Metalúrgica e Metalomecânica (Cenfim).

O projeto The SmoothPhones Shop, de Margarida Braz, do 7º ano da Escola Raul Proença, recebeu o prémio inovação do 3º ciclo. Consiste na criação de auscultadores que não aleijam as orelhas, porque normalmente fazem pressão nas hastes dos óculos. Os auscultadores terão uma “falha” nas esponjas, para que desta forma as pessoas que usam óculos possam utilizá-los sem se magoarem atrás das orelhas.

Os projetos distinguidos receberam prémios de vales entre 35 e 100 euros em lojas no comércio caldense.

Entre os finalistas estiveram também mais quatro ideias, entre as quais o projeto Bike Pipoka, desenvolvido pelos alunos Ricardo Rodrigues e Lucilene Rodrigues, do Curso de Gestão e Produção de Pastelaria da EHTO, com o objetivo promover a venda de pipocas gourmet por meio de bicicletas especialmente preparadas para levar o produto diretamente para o consumidor.

O projeto Rolling queen, de Meiline Matos, Beatriz Barardo e Sofia Ferreira, do 12º ano da ETEO, pretende promover a mobilidade sustentável de proximidade, como também uma vida mais saudável. É composto por um evento que aborda uma competição das modalidades Skate e BMX, havendo espaços dedicados à música, à street food, atividades lúdico pedagógicas, workshops e um programa designado five station numa ciclovia em construção

Trash Uber, de Filipa Santos, João Poeira, João Félix, Guilherme Sela e Maria Ferreira, do 10º ano, de Técnicas de Gestão, da ETEO, visa a criação de uma aplicação com o objetivo de efetuar a reciclagem para ajudar o meio ambiente. Pretende-se ajudar as empresas, pessoas de faixa etária idosa, pessoas com dificuldades motoras e pessoas que moram a uma longa distância dos ecopontos do lixo

O projeto YourSystem, de Francisco Requicha, do 12º ano do Agrupamento de Escolas Raul Proença, consiste na criação de sites em blocos que permita ao utilizador trabalhar com um ou mais colegas.

Últimas Notícias

Equipa do Acrotramp vence Scalabis Cup

Decorreu nos dias 8, 9 e 10 de julho, a Scalabis Cup, competição Internacional de ginástica, no Pavilhão Desportivo Municipal de Santarém, reunindo cerca de 500 ginastas em representação de vários países. O Acrotramp Clube de Caldas esteve representado nesta competição com seis ginastas seniores de 1ª divisão e elite (três em duplo minitrampolim e três em tumbling).

Caldas da Rainha esteve em alerta mas DGS corrigiu números

A Direção-Geral da Saúde procedeu na passada segunda-feira a uma correção da incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes nas Caldas da Rainha, para o período de 24 de junho a 7 de julho, o que retirou o concelho do estado de alerta em que havia sido colocado indevidamente por resolução do Conselho de Ministros na quinta-feira anterior.