Presidente da Câmara de Óbidos apresentou projetos no valor de 73 milhões de euros para a próxima década

Um Centro Cultural, de Congressos e de Desporto, um funicular entre a estação de caminho-de-ferro de Óbidos e a vila, e um comboio elétrico junto à Lagoa são três dos projetos mais emblemáticos entre as propostas a realizar no concelho até 2034, que foram apresentadas por Filipe Daniel, presidente da Câmara Municipal de Óbidos.

Um Centro Cultural, de Congressos e de Desporto, um funicular entre a estação de caminho-de-ferro de Óbidos e a vila, e um comboio elétrico junto à Lagoa são três dos projetos mais emblemáticos entre as propostas a realizar no concelho até 2034, que foram apresentadas por Filipe Daniel, presidente da Câmara Municipal de Óbidos.

Na sessão de apresentação, que teve lugar a 27 de janeiro, na Praça da Criatividade, estiveram presentes diversos convidados, incluindo a ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa. A governante assistiu a toda apresentação, com cerca de uma hora e meia, mas acabou por não fazer nenhuma intervenção.

Para os que possam achar que são demasiadas propostas para dez anos, Filipe Daniel salientou que é necessário serem ambiciosos e comprometerem-se “de corpo e alma nestes objetivos”.

Os projetos têm, no total, um custo estimado de cerca de 73 milhões de euros e “vão melhorar significativamente a vida das pessoas e que vão transformar o concelho de Óbidos para melhor”.

Segundo Filipe Daniel, embora haja prioridades, os investimentos vão ter de ser adaptados de acordo com as linhas de apoio comunitário que surjam. “O que precisamos é de ter os projetos ‘maduros’ para poderem avançar logo que existam candidaturas abertas”, explicou.

Até 2029 o município tem atribuídos 7 milhões de euros, mas desta forma, pode aproveitar fundos comunitários que não sejam gastos por outros municípios. Como já aconteceu, por exemplo, para a obra da Praça da Criatividade, “em que conseguimos ir buscar 734 mil euros em ‘overbooking’”.

Esta é uma prática corrente para prevenir o desperdício de verbas no final de cada quadro comunitário. São aprovados projetos a mais, por conta de projetos que acabam por falhar ou se atrasar.

Segundo Filipe Daniel, como a Câmara tem “uma boa situação financeira” está disponível para ter uma menor comparticipação em cada projeto e assim “poder fazer mais”.

A apresentação do edil obidense foi feita através de uma visita virtual, com realidade aumentada que inclui os projetos, sobre o território do concelho. Esta pode ser vista no endereço https://critecng.com/obidos2030.

Obras diversas

A primeira obra a ser concretizada neste plano deverá ser o Edifício Multisserviços, localizado na área envolvente às antigas instalações do Novo Banco, para o qual foi apresentado uma candidatura programa de regeneração urbana do Portugal 2030.

Orçado em mais de 2 milhões de euros, este edifício irá congregar os serviços de Finanças, Conservatória, Segurança Social, Loja do cidadão, Junta de Freguesia de Santa Maria, São Pedro e Sobral da Lagoa e ainda a criação de um “welcome center e check In geral para todas as unidades hoteleiras dentro da vila e na zona especial de proteção”. Ficarão também ali alojados os serviços de ação social da autarquia.

O objetivo passa por “promover a acessibilidade aos cidadãos em geral e aos que possuam mobilidade condicionada, em particular, eliminando barreiras arquitetónicas no acesso aos organismos da administração pública”.

Quanto ao Centro Cultural, de Congressos e de Desporto, pretende ser “um espaço de grandes dimensões”, com uma vertente cultural, mas que “também se deve poder transformar num espaço para acolher atividades desportivas, assim como locais de dinâmicas empresariais e comerciais”.

No entanto, este não é um projeto prioritário e ainda não existe sequer uma localização prevista, mas a intenção é que fique junto à saída da A8.

O funicular pretende otimizar o comboio como um meio de transporte cada vez mais importante nas metas de descarbonização e com grande facilidade de chegar a Óbidos, melhorando desta forma a ligação da estação à vila.

Também numa lógica de descarbonização, Filipe Daniel referiu o projeto do comboio elétrico da Lagoa de Óbidos, entre um parque de estacionamento e a praia do Bom Sucesso.

“A presença de um local de estacionamento, e a possibilidade de mobilidade através de um comboio movido a energia solar, traria um motivo de recreio para famílias e praticantes de desportos náuticos usufruírem desta parte do nosso território”, indicou.

Por outro lado, existe já uma candidatura a fundos comunitários para a construção de uma ponte pedonal flutuante que faça a ligação entre Caldas e Óbidos.

Outra proposta passa pela criação de um Parque Fotovoltaico e do Parque Verde do Casal do Codorno, onde antes existiu uma lixeira.

“Estamos preocupados com o considerável aumento do custo de vida das pessoas em especial da energia elétrica e queremos ter também um papel ativo nas metas responsáveis impostas pela descarbonização”, manifestou Filipe Daniel.

Nesta transição verde e de mobilidade elétrica, o autarca considera ser possível, com este projeto, conseguir a produção de 15 a 20 megawatts, “permitindo aos munícipes, empresas e associações realizar uma poupança de 35 a 45% na fatura da eletricidade”. O investimento de cerca de 15 milhões de euros.

A Câmara de Óbidos pretende ainda requalificar o Aqueduto da Usseira. “Este é um património há muito a necessitar de intervenção por tudo o que representa para o nosso concelho”, afirmou Filipe Daniel, revelando que o projeto para concurso será feito por três fases, num valor de investimento previsto de cinco milhões de euros.

Reabertura da cidade romana

A reabertura da cidade romana de Eburobrittium é outro dos projetos a avançar. “Vamos poder dar seguimento, finalmente, à reabertura da Cidade Romana”, disse Filipe Daniel, explicando que se vai avançar com uma “estrutura coberta, com zonas de passadiços interiores, para que se consiga explorar todo aquele espaço, sem danificar o património”. Isto depois de ter sido assinado um protocolo de colaboração com o novo proprietário da Quinta das Janelas.

Em relação ao Convento de São Miguel das Gaeiras (adquirido à OesteCIM em 2023 por 1,1 milhões de euros), passará a ser “utilizado para fins culturais e museológicos”, explicou o autarca, avançando ainda com a “possibilidade de desenvolvimento de uma unidade auxiliar de termalismo”.

Quanto à Ermida de Santo Antão, Filipe Daniel prevê a reabilitação deste espaço e das acessibilidades.

A intervenção irá passar pela criação de uma plataforma a sul com vista de 360 graus, a construção de um miradouro e ainda a subida em cerca de três metros da estrada de acesso e a respetiva elevação da conduta de água, para melhor acesso ao local. Pretende-se ainda a construção de uma pequena biblioteca no local.

O presidente da Câmara Municipal de Óbidos falou ainda do projeto da mobilidade suave e do Parque de Lazer das Caxinas, localizado junto aos Arrifes.

“Vamos avançar com uma ciclovia e percursos pedonais que vai desde a escola Josefa de Óbidos até ao concelho das Caldas da Rainha”, explicou, acrescentando que se tratam, entre outros, “de percursos cicláveis e pedonais com cerca de seis quilómetros, num investimento previsto de cinco milhões de euros”.

Uma obra que irá também beneficiar os milhares de peregrinos que passam por Óbidos.

Quanto ao Centro de Ciência Viva, na Poça do Vau e Poça da Cativa, o autarca pretende que haja “uma maior valorização dos recursos naturais”.

Serão feitas pequenas intervenções e instalados mais dois observatórios biológicos “uma vez que queremos que este seja um local de sensibilização e valorização para a comunidade civil e estudantil”.

Ponte Suspensa da Pedreira

A Ponte Suspensa da Pedreira, junto ao Sobral da Lagoa poderá também ser considerado um dos projetos mais arrojados para a próxima década. “Com esta infraestrutura pretendemos criar mais um lugar de vista no nosso território”, explica o edil, “ligando a Rota dos Ginjais, no Sobral da Lagoa, à Rota dos Moinhos, na Amoreira, e mostraríamos a vista ímpar a sul do nosso concelho”.

Outra proposta disruptiva é a da construção de um “Restaurante Panorâmico Giratório” na Usseira. Neste local “poderá ver-se a Serra do Montejunto, os Farilhões e as Berlengas, a Lagoa de Óbidos, o Oceano Atlântico e ainda a Baía de São Martinho”.
A ideia é da Câmara, mas o desafio para a sua instalação será lançado à iniciativa privada.

Também na área do turismo, a autarquia pretende criar um parque de caravanismo junto à Lagoa de Óbidos e recuperar Cabanas Mariscadores.

Outra ideia é a criação de um espaço de experiências imersivas ligadas à vinha e ao vinho e ao Enoturismo na zona de A-dos-Negros.

Filipe Daniel referiu ainda que está prevista uma nova iluminação de todo o perímetro do castelo de Óbidos, com tecnologia LED. Na área desportiva está prevista a construção de novas infraestruturas como campos de ténis e padel, bem como campos de voleibol e futebol de praia e ainda um ginásio.

Outro grande desafio passa pela caiação em todos os edifícios públicos na vila.

Últimas Notícias

Preço médio da venda de casas nas Caldas aumentou 25.000€ em janeiro

O portal imobiliário Imovirtual divulgou nesta segunda-feira o seu barómetro relativo à evolução dos preços médios anunciados de arrendamento e venda no distrito de Leiria, fazendo uma comparação entre janeiro com o mês de dezembro. Nas Caldas da Rainha vender ficou mais caro, passando dos 300.000€ para os 325.000€ e arrendar ficou ligeiramente mais barato, passando de 950€ para 900€.

“Hawai de Alfeizerão” é investimento em campismo com charme

O conceito de acampar com elegância e charme vai ser explorado em breve em Alfeizerão, com a criação de um Parque de Glamping, Eco Resort e Parque de Autocaravanas intitulado “Hawai de Alfeizerão”, em construção no Casal da Ponte, num investimento que rondará entre 150 a 200 mil euros da Junta de Freguesia, com o apoio da Câmara Municipal de Alcobaça.

Secretário de Estado visitou Pousada da Juventude de Alfeizerão

No âmbito da iniciativa “ANDA (Conhecer Portugal)”, o Secretário de Estado da Juventude e do Desporto, João Paulo Correia, visitou a 5 de fevereiro a Pousada da Juventude de Alfeizerão e pôde testemunhar as suas boas condições de manutenção e gestão.

Movimento Viver o Concelho divulga atividades para este ano

A Associação Movimento Viver o Concelho (MVC), das Caldas da Rainha, divulgou o plano de atividades para 2024, anunciando que tem a sua equipa reforçada, novos projetos e “muita vontade de continuar a fazer um bom trabalho na comunidade”, manifestou Teresa Serrenho, responsável desta instituição.