emissão em direto

próximo programa

Ver programação completa

Eventos internacionais de piano aguardam visitantes

A XXV e XXVI Semana Internacional de Piano de Óbidos (SIPO) e o Festival Internacional de Piano do Oeste vão decorrer de 22 de julho a 10 de agosto.

A edição de 2021 marca o início de uma nova era do evento. A SIPO acolhe este ano duas vertentes de master classes, música de câmara e piano, e o Festival Internacional de Piano do Oeste, alargando, desta forma, o âmbito do evento. Esta novidade vem acompanhada da celebração das bodas de prata deste que é já um momento musical emblemático a nível nacional e internacional. Esta edição marca também a estreia, em Portugal, dos pianistas Eugen Indjic e James Giles, dois reputados músicos a nível internacional.

Para celebrar os 25 anos, a SIPO aposta em força na vertente pedagógica através da realização de master classes de piano e de música de câmara, com um elenco de professores pianistas convidados. O Festival Internacional de Piano do Oeste vai contar com um leque de 15 concertos, desde o barroco ao contemporâneo, passando pela música jazz com um recital do Trio Mário Laginha. Os vários concertos do festival vão passar pelo Centro Cultural das Caldas da Rainha, pelo Auditório Municipal de Óbidos, a Igreja Santa Maria de Óbidos, por Alcobaça e por Lisboa (Museu do Oriente).

As master classes constituem um importante momento deste evento, onde é dada formação especializada e de elevado nível a alunos de piano dos quatro cantos do mundo que estão a concluir a sua formação ou no início da sua carreira profissional.

Na edição de 2021, as master classes vão estar divididas em dois grupos: de 23 a 29 de julho música de câmara, com Olga Prats, pianista e grande impulsionadora em Portugal deste estilo musical, e de 28 de julho a 9 de agosto as master classes de piano, que contam com a presença de cinco professores/pianistas dos Estados Unidos, França e Portugal – Boris Berman, James Giles, Manuela Gouveia, Eugen Indjic e Artur Pizarro.

Numa perspetiva de evolução, os jovens músicos serão acompanhados pelos professores durante todo o período dos cursos, sendo esta uma oportunidade única para o aperfeiçoamento técnico e musical. “As master classes são já uma marca deste evento, para além da formação, garantem a quem nos visita a oportunidade de respirar a música que enche as ruas da vila, já que são abertas ao público e, por isso, permitem às pessoas absorverem o espírito deste evento”, refere Manuela Gouveia, diretora artística da SIPO e presidente da ACIM (Associação de Cursos Internacionais de Música).

Este ano, espera-se uma edição capaz de reunir em Óbidos, nas Caldas da Rainha e na Região Oeste, um significativo número de visitantes, que aguardam o regresso dos sons do teclado, após a pausa obrigatória devido à pandemia. “Estamos muito confiantes neste regresso. Celebrar a música, o reencontro e poder devolver a Óbidos e à Região Oeste o charme e o encanto deste evento. Isto tem, para nós, uma enorme importância. Estamos empenhados em proporcionar um programa memorável e que ultrapassará a fronteira da vila, tornando-se numa das mais importantes iniciativas de âmbito cultural da região do Oeste”, manifesta Manuela Gouveia.

O festival junta, ainda, a música às artes, com a galeria da Casa da Barbacam, em Óbidos, a receber a exposição “Transformações” – Fotografia e esculturas de bronze de Rainer Gross, escultor alemão reconhecido internacionalmente pelas suas instalações efémeras em edifícios históricos ou na natureza.

Reflexões sobre o estado da sociedade também serão estimuladas através da palestra “Um mundo novo subjugado ao populismo? Cidadania precisa-se”, proferida por Miguel Raposo Magalhães.

Últimas Notícias

Equipa do Acrotramp vence Scalabis Cup

Decorreu nos dias 8, 9 e 10 de julho, a Scalabis Cup, competição Internacional de ginástica, no Pavilhão Desportivo Municipal de Santarém, reunindo cerca de 500 ginastas em representação de vários países. O Acrotramp Clube de Caldas esteve representado nesta competição com seis ginastas seniores de 1ª divisão e elite (três em duplo minitrampolim e três em tumbling).

Caldas da Rainha esteve em alerta mas DGS corrigiu números

A Direção-Geral da Saúde procedeu na passada segunda-feira a uma correção da incidência cumulativa a 14 dias por 100 mil habitantes nas Caldas da Rainha, para o período de 24 de junho a 7 de julho, o que retirou o concelho do estado de alerta em que havia sido colocado indevidamente por resolução do Conselho de Ministros na quinta-feira anterior.