Crédito pessoal e Crédito consolidado: em que consistem e no que diferem?

O crédito pessoal e o crédito consolidado são duas das muitas ferramentas que o mercado financeiro coloca ao nosso dispor para darmos vida a um projeto ou, simplesmente, pagar aquelas dívidas que insistem em fazer “comichão” no nosso bolso.

O crédito pessoal e o crédito consolidado são duas das muitas ferramentas que o mercado financeiro coloca ao nosso dispor para darmos vida a um projeto ou, simplesmente, pagar aquelas dívidas que insistem em fazer “comichão” no nosso bolso.

Apesar de algumas semelhanças, a começar logo pela palavra “crédito” presente no seu nome, a verdade é que estes dois instrumentos financeiros apresentam diferenças substanciais entre eles.

Para além de o ajudar a perceber em que consistem cada uma destas modalidades de crédito, ao longo deste artigo vamos tentar explicar-lhe quais as diferenças entre elas e a forma como se podem relacionar. Venha daí.

Crédito Pessoal

O crédito pessoal (ou empréstimo pessoal), é uma solução que, por norma, se destina aquelas pessoas que procuram uma forma de financiamento rápida para a compra de um bem ou serviço (um carro ou um pacote de férias, por exemplo) e que não necessite de muitas garantias ainda que, em certas situações, possa ser utilizada para o pagamento de dívidas decorrentes de créditos anteriores.

Se a sua ideia é contrair um crédito pessoal para eliminar as dívidas deixadas por um empréstimo anterior, deve ficar particularmente atento aos juros praticados e ao valor das mensalidades de modo a perceber se esta ação lhe vai proporcionar um verdadeiro alivio nas prestações.

De modo geral, os valores mínimos de financiamento através de um crédito pessoal situam-se entre os 250 e os 300 euros, enquanto o limite máximo pode variar entre 40 e 75 mil euros, dinheiro que pode entrar na conta bancária no espaço de dois dias úteis se o cliente quiser um crédito pessoal rápido.

Dependendo do montante em causa, durante o processo de avaliação do seu pedido de crédito pessoal, a instituição bancária terá em conta os seguintes requisitos:

  • Estar efetivo no seu trabalho;
  • Não estar de baixa, uma vez que só lhe darão crédito quando o caso estiver regularizado;
  • Mostrar garantias, como uma taxa de esforço até 40%/50%;
  • Não ter efetuado nenhum incumprimento;
  • Não ter o seu nome no Banco de Portugal.

Caso, depois de devidamente avaliado, o seu pedido de crédito pessoal seja aprovado, poderá, como referimos, dispor do dinheiro do empréstimo pessoal em apenas dois dias.

Crédito Pessoal – Vantagens e Desvantagens

De forma sintética, um crédito pessoal garante-lhe as seguintes vantagens:

  • Exige poucas garantias;
  • Maior rapidez e facilidade em obter dinheiro, sem burocracias demoradas;
  • Este crédito pode ser obtido via online;
  • Flexibilidade na utilização, podendo ser utilizado em diversas situações;
  • Prazos de pagamento flexíveis;
  • Muitos dos empréstimos pessoais permitem que a quantia pedida seja mais tarde aumentada.

Mas também tem a suas desvantagens:

  • Taxas de juros elevadas, que podem chegar por vezes aos 30% em troca do empréstimo de um montante algo reduzido;
  • Acesso facilitado a este tipo de empréstimo pode levar o cliente a endividar-se e a acumular vários créditos;
  • Penalizações elevadas no caso de incumprimento;
  • Custos de contrato elevados.

Crédito Pessoal – exemplo prático

Para melhor se perceber de que forma o crédito pessoal pode ser útil na nossa vida quotidiana, atente no caso da Matilde.

À semelhança do que acontece com muitos jovens da mesma idade, a Matilde decidiu enveredar por uma carreira enquanto criadora de conteúdos digitais após o fim da sua licenciatura.

Especializada em Viagens, a nossa personagem quer criar conteúdos sobre Moçambique, mas como, entre um Mestrado e as contas de casa, o dinheiro não abunda, decide-se a pedir um crédito pessoal online para viajar para África.

Depois de uma pesquisa online, a Matilde acaba por entrar na página de crédito pessoal do UNIBANCO, onde encontra um simulador de crédito pessoal que utiliza para calcular o valor das prestações que terá de pagar para um crédito de 5 mil euros a ser pago em 24 meses. O resultado é uma prestação mensal de 222,73 euros (TAEG a 8,6%, TAN a 6,250% e MTIC €5.433,53).

Como o resultado foi do seu agrado, passou ao pedido de contratualização imediata, algo que só é possível porque o UNIBANCO, marca da instituição financeira de crédito UNICRE, garante uma adesão totalmente digital a esta modalidade de crédito.

Para além da possibilidade de contratualizar um crédito pessoal online, esta solução de financiamento oferecerá à Matilde mensalidades fixas e isenção de comissões de abertura, mesmo que a nossa personagem seja cliente de outro banco.

Crédito Consolidado

Ao contrário daquilo que acontece com o crédito pessoal, o crédito consolidado é uma ferramenta que permite ajudar as famílias a reduzir mensalmente as suas prestações de crédito.

Como não raras vezes acontece, muitos agregados familiares vão acumulando créditos ao longo do tempo que, gradualmente, vão pesando cada vez mais no orçamento familiar. Quando este peso é desmesurado, isto é, quando a taxa de esforço (Encargos financeiros / Rendimento Líquido Total do Agregado x 100) ultrapassa os 50% definidos como limite “saudável” pelo Banco de Portugal.

Quando isso acontece, a consolidação de créditos aparece como a solução que lhe vai permitir juntar todos os créditos que detenha num só de modo a simplificar os pagamentos mensais, uma vez que esta solução garante-lhe uma taxa fixa, um prazo fixo e uma única prestação mensal.

No entanto, para recorrer à consolidação de créditos, há algumas condições que têm de cumprir (podem variar de acordo com a instituição financeira):

  1. Não pode ter prestações de crédito em atraso. O ideal é regularizar primeiro as suas dívidas antes de falar com o banco sobre consolidação de créditos;
  2. A idade máxima para solicitar consolidação de créditos é de 75 anos;
  3. Para negociar a consolidação de créditos é necessário ter um fiador ou dar uma garantia ao banco;
  4. Caso esteja desempregado, numa situação de emprego precário ou se for considerado um cliente de risco (com uma taxa de esforço elevada, por exemplo), é provável que o banco recuse o seu pedido.

Para além da reorganização da sua situação financeira, cenário mais indicado para pedir um crédito consolidado, esta ferramenta também pode ser utilizada para pedir um crédito extra, uma vez que na consolidação de créditos pode requisitar um valor superior ao que tem em dívida ou para simplificar o pagamento de quem tenha várias prestações mensais em diferentes dias do mês, mesmo que não tenha problemas financeiros, uma vez que, com um crédito consolidado, o consumidor passa a pagar apenas uma prestação mensal num dia certo, e sempre com o mesmo montante.

Crédito Consolidado – Vantagens e Desvantagens

Assim, de acordo com aquilo que referimos anteriormente, as vantagens de um crédito consolidado são:

  • Redução mensal nas prestações;
  • Conforto e maior controlo;
  • Acesso a mais financiamento;
  • Taxas de juro atrativas (de um modo geral, as taxas de juro deste tipo de crédito são mais baixas que as de crédito ao consumo);
  • Aprovação rápida e simples.

Enquanto no polo das Desvantagens se encontram:

  • Reembolso antecipado penalizado: se pagar antecipadamente um valor em dívida com um Crédito Consolidado, irá sofrer uma penalização;
  • Prazo de pagamento mais longo: apesar de parecer vantajoso pagar menos todos os meses, o prazo de pagamento tornar-se-á mais extenso ao unir todos os créditos;
  • Quanto maior for o prazo de pagamento não só lhe serão cobrados mais juros, como a fatia de amortização do empréstimo será menor;
  • Se for um cliente de risco, demonstrando problemas financeiros para pagar os créditos, o banco irá cobrar-lhe um spread mais elevado.

Comentários:

0 Comentários

Deixe um comentário